Artigos / As contribuições da psicanálise para a fonoaudiologia

As contribuições da psicanálise para a fonoaudiologia

Autoria: Miriam Altman e Muna Maalouli

Nosso propósito neste pequeno artigo é o de ressaltar a importância dos aspectos emocionais para a compreensão da linguagem e da comunicação.

Coube a Freud,  o fundador  da psicanálise, a formulação dessa teoria revolucionária.  Ao elaborar o conceito de inconsciente como determinante das nossas ações e desejos abalou profundamente a crença no poder da razão, questionando o lugar primordial que até então fora dado ao intelecto e aos aspectos racionais da consciência.

Inicialmente, ao se voltar para a compreensão dos sintomas histéricos e do significado dos sonhos, pôde construir uma teoria sobre a formação  das representações mentais, do afeto, da memória, linguagem, pensamento e da dinâmica intra-psíquica.

Cabe ressaltar que Freud era neurologista e portanto um conhecedor das funções psíquicas em termos das localizações cerebrais. Por outro lado, a partir das suas experiências clínicas, foi se dando conta que os conteúdos mentais ultrapassam a explicação orgânica, concreta e estática pautada em lugares físicos e se exprimem com grande mobilidade psíquica através do deslizamento  simbólico. 

Dessa forma construiu uma teoria do aparelho psíquico que inclui conceitos que levam em conta o dinamismo da vida mental e a riqueza dos seus sentidos. Acreditamos que essas descobertas  podem contribuir  para a fonoaudiologia  através de uma maior compreensão dos aspectos emocionais que estão envolvidos na comunicação e na linguagem.

Desde o início da vida, cabe à mãe poder dar sentido às  necessidades e às expressões  pré verbais e corporais do bebê, significando–os e inserindo-os numa forma simbólica de comunicação. Nesse sentido, os fatores emocionais envolvidos nesse vínculo são essenciais para o desenvolvimento do pensamento, da simbolização, da criatividade e das palavras.

Assim, o maior conhecimento da dinâmica da vida  psíquica poderá ajudar os fonoaudiólogos  a ampliar  a compreensão do sofrimento dos seus pacientes ligados aos distúrbios da comunicação e contribuir para sua atuação e intervenção.